Turismo independente

Turismo Independente: vantagens e desvantagens

Viajantes que buscam por maior liberdade de escolha em roteiros, acomodações e menor preço optam por planejarem suas viagens por si próprios, sem o auxílio de uma agência. Conheça as vantagens e desvantagens do turismo independente.

Decidir sobre contratar ou não uma agência de viagens para programar o seu próximo roteiro pode depender de alguns fatores como idioma, destino, circunstâncias da viagem e perfil do viajante. Não existem regras em relação a esta escolha, mas, para cada caso é importante conhecer e comparar as vantagens e desvantagens de optar por ser um viajante independente ou contratar os serviços de uma agência.

Viajar por conta própria ou fazer turismo independente possibilita que você planeje e decida por todos os detalhes, desde o roteiro, passando por pesquisa de preços, reservas e duração da viagem. Atualmente, com essas informações presentes em sites da internet, ficou muito fácil procurar por melhores opções de voos, acomodações e meios de transporte e locomoção. Faça pesquisas através de buscadores e comparadores de preços, e use canais como sites de viagens, fóruns e blogs para conhecer as histórias e opiniões de quem já optou por viajar sem uma agência de turismo.

Vantagens:

  • flexibilidade de horários, já que você não precisa seguir um cronograma de roteiros e excursões como os oferecidos por agências;
  • economia, pois você pode optar por hospedagens alternativas a hotéis, pousadas e albergues, como o Couchsurf  e o Home Stay; além de aluguel de casas e apartamentos, que costumam ser mais baixos.
  • ao planejar o seu roteiro por conta própria, você acaba aprendendo muito sobre o lugar, além de fugir dos tradicionais “passeios de turista”. No caso de restaurantes, por exemplo, opte pelos que são frequentados por moradores locais. Geralmente, eles têm menor preço e oferecem maior qualidade se comparados aos escolhidos por pacotes de viagem.

Desvantagens:

  • se você não está acostumado com essa prática, pode achar complicado nas primeiras tentativas. É preciso ter muita atenção com datas e endereços, e planejamento para que tudo seja feito do modo correto.  Importante: cada destino tem sua particularidade. Pesquise costumes, leis e regras do local, além de hábitos de saúde.
  • certos destinos (Oriente Médio e Ásia, por exemplo) apresentam desafios para estrangeiros, como a linguagem e outros aspectos da cultura. Roteiros de Ecoturismo podem demandar cuidados especiais, principalmente para iniciantes, crianças e idosos, além de guias especializados e orientação na prática de esportes de aventura. Nestes casos, optar por um pacote ou agência garante a segurança e evita problemas eventuais.
  • falta de assistência profissional, caso algo saia fora do planejado. Atraso de voos e problemas com reservas em hotéis são alguns dos imprevistos que podem ocorrer. Você deve estar preparado e saber como lidar com este tipo de situação quando opta pelo turismo independente.

Não há uma opção definitivamente melhor do que a outra. Tudo dependerá do destino e do perfil de cada viajante. Este perfil também pode mudar de acordo com a etapa de vida de cada um. Em determinados momentos estamos mais dispostos a aventuras e a lidar com possíveis mudanças imprevistas comuns no turismo independente. Já em outros momentos, desejamos o apoio de uma agência para poder aproveitar o destino sem preocupações e diminuindo a necessidade de decisões.

Já viajou sozinho? Prefere ajuda de uma agência? Conte-nos sua experiência nos comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *