• por

Os encantos da Serra do Japi

Considerada uma rara porção remanescente de Mata Atlântica (7%) e localizada no interior do Estado de São Paulo, está a Serra do Japi, Patrimônio Natural que recebeu o título de Reserva da Biosfera da Mata Atlântica pela UNESCO. Situada em uma região ecotonal, ou seja, uma área de transição ou junção entre duas ou mais formações florestais, sua mata é constituída pelas Umbrófilas da Serra do Mar e as Semideciduais da porção interior do estado. Outra característica que compõe a paisagem é a riqueza hídrica da região, produtora de água de excelente qualidade.

A reserva biológica da Serra do Japi encontra-se no município de Jundiaí, SP, e a área total da serra ocupa porções das cidades de Jundiaí, Cabreúva, Pirapora do Bom Jesus e Cajamar, estendendo-se por aproximadamente 350 Km².

O local é uma ótima pedida para amantes do Ecoturismo e de aventura por ser repleto de trilhas e circuitos que levam os visitantes à cachoeiras, lagos e paisagens que contam a história do local e mostram de perto a fauna e vegetação, grandes atrativos para grupos de pesquisadores.

Para tal, em 2013 foi criado o Projeto Nossa Terra, que visa proporcionar um conhecimento correto e equilibrado das interações naturais e da biodiversidade da Reserva, promovendo educação ambiental, estimulando ações de conscientização e preservação, e aproximando o cidadão do local.

serra-do-japi-estacao-floresta            Grupo da Estação Floresta em visita à Serra do Japi

Circuitos da Serra do Japi

Trilha da Biquinha

O percurso possui 3 km de ida e volta (aproximadamente 1h de caminhada), tem nível de dificuldade baixo e pode ser feito por crianças e idosos. Ele inicia na Base Ecológica, local que serve como apoio à visita monitorada.

Nele, os atrativos ficam por conta da vista panorâmica de Jundiaí, pequenas cachoeiras (Córrego do Chá I e II) com até 3 m de altura e uma nascente que aflora no leito da estrada. Animais da fauna local e a vegetação de encosta se fazem presentes no percurso, assim como uma bica d’água não potável que dá nome a trilha.

serra-do-japi-trilha-da-biquinha                                     Fonte: Fundação Serra do Japi

Circuito Base Ecológica – Casa do Conserveiro

Com extensão de 4 km com ida e volta e nível de dificuldade baixo, o percurso inicia na Base Ecológica, passa pela Trilha da Biquinha, até o ponto onde se situa a bica de água não potável, e, a partir daí, segue por uma subida um tanto íngreme até a Casa do Conserveiro, local abandonado que já foi utilizado como moradia por um vigia da reserva, e situa-se  a 1.100 metros de altitude. A área em questão passou por um processo de reflorestamento e tem visão parcial da vegetação de encosta. Pela extensão do percurso, o visitante encontra a mata ciliar do Córrego do Chá, nome dado a uma corredeira de água que fica a 1056 metros de altitude.

serra-do-japiPaisagem ao longo do percurso Base Ecológica – Casa do Conserveiro. Fonte: Fundação Serra do Japi

Trilha do Mirante

Com nível de dificuldade médio por se tratar de uma subida um tanto íngreme, o percurso inicia na Base Ecológica totalizando 6 km de ida e volta. É interessante observar a mudança da vegetação ao longo do trajeto que termina no Mirante a 1.185 metros de altitude. Ali, encontra-se o já desativado Observatório Astronômico Kiko de Matheo, construído na década de 80 para avistar o Cometa Halley.

A trilha é utilizada também por técnicos de empresas que possuem torres de comunicação próximas ao Mirante.

serra-do-japi-observatorio-trilha-do-mirante                   Observatório Astronômico Kiko de Matheo

Trilha do Paraíso

Com 9 km de ida e volta e nível de dificuldade médio, o percurso que inicia na Base Ecológica passa pelas trilhas da Biquinha e Nações Unidas até chegar a Cachoeira do Paraíso, a 1.074 metros de altitude. Durante o trajeto é possível encontrar um trecho cheio de Eucaliptos, que vão até a Casa do Conserveiro. A partir daí, a caminhada é feita em meio à mata fechada.

Devido ao alto numero de visitantes, ocorreram alguns impactos na paisagem natural, principalmente em torno da cachoeira. Por esta razão, a trilha foi interditada por alguns meses para a regeneração da natureza local. Atualmente, são permitidas 15 pessoas por grupo de visitantes a uma frequência semanal.

cachoeira-do-paraiso-serra-do-japi                        Cachoeira do Paraíso

Trilha do Marco Geodésico

Com grau elevado de dificuldade, o trajeto inicia na Base Ecológica, a 1.040 metros de altitude, e passa pelas trilhas da Biquinha e Nações Unidas, adentrando à Trilha do Marco Geodésico. Devido ao seu nível avançado de complexidade e gradiente altitudinal, a trilha é usada somente por pesquisadores e algumas visitas controladas. O extensão total é de 5 km ida e volta feitas em aproximadamente 5 horas de caminhada.

A vista privilegiada que o Marco Geodésico oferece engloba os morros da Serra do Japi, Jundiaí, Pico do Jaraguá, Serra dos Cristais e Serra do Mursa, além da Serra da Cantareira de Atibaia e da Serra da Mantiqueira de Itatiba.marco-geodesico-serra-do-japi                                Fonte: Fundação Serra do Japi

Trilha das Jabuticabeiras

O percurso é famoso pela presença de árvores jabuticabeiras em alguns pontos do trajeto, mas a abundância de atrativos naturais vai além: o visitante tem a oportunidade de conhecer a Cachoeira das Jabuticabeiras, assim como o Córrego do Padre Simplício. O nível de dificuldade é elevado, totalizando 15 km de extensão, ida e retorno. A visita é limitada para 15 participantes por vez, e é feita em aproximadamente 8 horas.

A Estação Floresta oferece passeios para a Serra do Japi. Entre em contato conosco e obtenha mais informações: (19) 99216-9544.