Ilha de Marajo

Ilha de Marajó: aventure-se em meio aos igarapés

21/10/2015
De Norte a Sul

A oeste da foz do rio Amazonas, situada às margens do rio Pará e do Oceano Atlântico, está a Ilha de Marajó, a maior ilha do Brasil e a maior ilha flúvio marítima do mundo. O destino encanta pela natureza exótica e por ser detentora do maior rebanho de búfalos do país, animal que se tornou símbolo cultural da ilha.

Com área aproximada de 40.000km², a Ilha de Marajó é dividida em 12 municípios do estado do Pará, cercados por campos, matas, rios, mangues e igarapés. Um canal separa a ilha da capital Belém, e o acesso se dá através de barco, em 3h de viagem. Marajó constitui um pedaço preservado e quase intacto da selva amazônica, com unidades de conservação ambiental (áreas de proteção, parques e reservas ecológicas e extrativistas). Muito procurada por turistas, a diversidade da fauna e da flora locais encanta os amantes do ecoturismo. O arquipélago possui também praias, lagos e até sítios arqueológicos. Diversão e aventura garantidas!

Como chegar à Ilha de Marajó

Para chegar a Marajó, é obrigatória a passagem pela capital Belém, pois é de lá que saem as embarcações que levam o turista à ilha. Há uma divisão no ponto de saída das embarcações: o Terminal Hidroviário leva quem está sem carro; e, quem possui um veículo, sai de balsa do Porto de Icoaraci, situado a 20km do centro da cidade.

Prefira visitar a ilha a partir do mês de julho. No primeiro semestre do ano, principalmente de janeiro a maio, chuvas diárias alagam boa parte da ilha. No segundo semestre, as águas baixam e fica mais fácil transitar pelo local. A temperatura, porém, alcança facilmente os 40 graus e o forte calor impera na região. Esteja sempre munido de boné ou chapéu, repelente e uma garrafa de água. Grande parte dos estabelecimentos locais ainda não está preparada para aceitar pagamento em cartão, então, carregue dinheiro vivo.

Onde se hospedar na Ilha de Marajó

No lado oeste da ilha, estão as cidades de Soure e Salvaterra. São locais pequenos, com 22 mil e 17 mil habitantes, respectivamente. Por estarem mais próximas da capital Belém, as cidades contam com infraestrutura para receber os turistas. Você encontra hospedagem em pousadas e fazendas, locais que o farão viver uma verdadeira imersão no dia a dia da Ilha de Marajó. Elas oferecem programação de passeios e atividades típicas, e o colocam em contato direto com a natureza e principalmente a fauna do local. Passeios em búfalos, acompanhados por guias e peões, é atividade obrigatória! Além disso, há caminhadas à beira da praia e passeios de canoa pelos igarapés. Algumas dessas fazendas são reserva ambiental do Ibama.

A culinária é outra atração à parte: a carne de búfalo é o ingrediente mais típico da região. Com ela, é preparado o Filé à Marajoara, com queijo de búfala derretido sobre os filés. O caldo de Turu é outro exótico prato da gastronomia local: cozinha-se o molusco, encontrado em cascas de árvores e madeira morta da beira da praia. Peixes e caranguejos também costumam fazer parte do cardápio.

Na ilha você tem acesso, ainda, à belas praias, como as Praia do Pesqueiro, Praia da Barra Velha e Joanes. Os encantos não param por aí! Para os interessados na história local, há o Museu do Marajó. O Mercado Municipal é uma experiência incrível: conheça os sabores de frutas como o bacuri, tucumã e araçá, espalhadas entre ervas e óleos curadores, próximos às barracas de peixes como tambaqui e tucunaré. Marajó é riqueza do início ao fim!

Mais informações e reservas clique aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *