Cavernas Petar

Atrativos e aventuras do PETAR – Cavernas

Reconhecido pela UNESCO como patrimônio da humanidade, o Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira (PETAR) é uma unidade de conservação que possui a maior porção de Mata Atlântica preservada do país. Com mais de 400 cavernas, é destino certo para quem procura aventura no coração da natureza.

Conheça o PETAR

Criado em 1958, o Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira (PETAR) está localizado no extremo sul do estado de São Paulo, nas cidades de Iporanga e Apiaí. Próximo a ele, estão outros parques como o Parque Estadual da Ilha do Cardoso (Cananeia), Parque Estadual Intervales (Ribeirão Grande e Guapiara) e o Parque Estadual Caverna do Diabo (Eldorado e Iporanga). O PETAR faz parte do Mosaico de Unidades de Conservação do Paranapiacaba.

O PETAR abriga espécies primárias da Mata Atlântica, como canela, cedro e palmito juçara, e espécies de animais como a onça-pintada e o monocarvoeiro. O Parque, ainda, constitui uma das mais importantes províncias espeleológicas do Brasil, tendo mais de 400 cavernas cadastradas pela Sociedade Brasileira de Espeleologia (SBE).

Como chegar ao PETAR

Localizado a cerca de 320km da capital São Paulo, as principais vias de acesso ao PETAR são as rodovias Régis Bittencourt, Castelo Branco e Raposo Tavares. Os trechos são, em sua maioria, duplicados e contam com infraestrutura de postos e restaurantes. Após a cidade de Jacupiranga, a via é de mão única e há, em alguns pontos, buracos e animais na pista. Atenção redobrada!

Atrações do PETAR

Não apenas de exploração de cavernas vive o PETAR – o parque oferece opções para diversos esportes de aventura: rapel, tirolesa, boia cross e acqua ride (modalidades nascidas no PETAR e que hoje são reconhecidas pela Associação Brasileira de Esportes Aquáticos e Associação Brasileira de Acqua Ride – ABAR), duck, rafting, bike, trekking, escaladas, cascading, canyonig, corrida de aventura e espeleo. Cansou só de pensar?

O boia cross no rio Betari e o passeio em cachoeiras como as cachoeiras Arapongas, Andorinhas e Beija Flor, é imperdível! São tantas as opções que, para aproveitar bem a visita, é ideal que você disponha de ao menos 4 dias no local.

É importante reforçar que todas as atividades devem ser feitas em companhia de um guia local, mesmo que os visitantes já tenham experiência na prática das mesmas. Cuidado e prudência são sempre bem-vindos!

Cavernas do PETAR

As cavernas são a grande atração do parque, com mais de 400 catalogadas. Há opções de cavernas com dunas, cachoeiras, escaladas, salões gigantes e abismos de até 240m de profundidade. Atualmente, são 12 as cavernas abertas à visitação pública, sendo as mais conhecidas as cavernas de Santana, do Morro Preto e Couto, Água Suja, Alambari de Baixo e Ouro Grosso.

Cada uma delas exige um determinado perfil de experiência e preparo físico do visitante, por isso, é importante sempre se informar e ser acompanhado por um guia com experiência no local – é uma exigência da Unidade de Conservação.

Abaixo, algumas informações sobre cada uma delas:

Caverna Santana: Localizada à margem do rio Betari, é a segunda maior caverna do estado de São Paulo. É percorrida pelo córrego Roncador, que constitui uma complexa rede de galerias desenvolvidas em vários níveis. Possui cerca de 8km de extensão e é muito utilizada para aulas de Educação Ambiental e fotografia. No total, são cerca de 490m de caminhada durante 1h30 de visitação.

Caverna Morro Preto e Couto: a gruta Morro Preto tem um dos mais belos pórticos de entrada de caverna do PETAR e é um verdadeiro cartão postal do local. Nesse mesmo local, foram encontrados vestígios de que ela servia de abrigo para o homem primitivo. O percurso tem início com uma descida a um salão com blocos desmoronados, que dão acesso a um trecho curto de teto baixo e ao Salão do Anfiteatro. A visita termina com a Cachoeira do Couto, de 5m de altura, com uma piscina natural de águas bem geladas. A visita à Caverna do Couto é um percurso de nível fácil com 400m de extensão pela galeria principal. O ponto alto é a espetacular visão da mata de dentro da caverna.

Caverna Água Suja: o acesso se dá através da trilha do rio Betari. No percurso, é possível observar formações rochosas como calcário, filito e quartzito. Piscinas, corredeiras, vegetação e fauna locais formam uma paisagem exuberante.

A caverna possui aproximadamente 1.800m de desenvolvimento, sendo 800 turísticos. Altas e largas galerias ornamentadas abrigam uma cachoeira interna, o que proporciona banho à luz de lanternas!

Caverna Alambari de Baixo: a entrada da caverna é gigantesca, e ela é atravessada pelo rio Alambari, que dá o tom de emoção ao passeio, pois as águas do rio chegam até a cintura dos visitantes! O acesso se dá com aproximadamente 45min de caminhada partindo do Bairro da Serra em direção a Iporanga.

Caverna Ouro Grosso: é formada por uma sequência de cachoeiras e vários poços de águas profundas, o que exige um pouco mais de preparo do visitante. Atualmente, apenas um trecho de 200m está aberto à visitação.

Com tanta aventura, é impossível não se encantar pelo PETAR. Entre em contato e agende a sua visita. Clique aqui para saber mais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *